Impressões parte 2

Continuando o post de ontem, fazendo uma “análise” do que tivemos nos testes de pré-temporada, vamos para os dois últimos grupos: O pelotão intermediário e as novatas.

A galera ali do meio está bem interessante, além de ser um grupo grande: Willliams, Sauber, Force Índia e Toro Rosso vão brigar e conseguir alguns pontos, com os prováveis problemas enfrentados pelas equipes na frente. Esse grupo é o mais “afetado” pela “falsidade” dos treinos de pré-temporada. Como essas equipes estão sempre precisando de dinheiro (pouco ou muito, sempre precisam), fazem testes com o carro leve, estão sempre otimistas para a nova temporada e falam até em pódio, numa tentativa de conseguir mais um patrocinador. Com isso, não dá pra tirar muitas conclusões sobre eles. A Sauber chegou a andar na frente em alguns dias dos testes, mas pra mim, o carro tava leve. A única equipe que aparentemente vem realmente bem é a Toro Rosso. Seus carros foram rápidos nos treinos, e principalmente, foram confiáveis e constantes. Se isso for verdade, uma boa chance pra Buemi e Alguersuari mostrarem que estão na briga pela vaga do velho Webber nos próximos anos. Dentre essas, minha aposta fica com a antiga Minardi.

E se podemos ter equilíbrio no pelotão intermediário, nas novatas as coisas são diferentes. A Lotus “verde” evoluiu muito, e está com um carro mais confiável. Fiquei muito na dúvida se não incluía o time malaio no grupo de cima, mas acho que não é pra tanto. De qualquer maneira, é uma equipe séria, que pode crescer na F1 e deve fazer seus primeiros pontos esse ano. A Virgin está bem capenga, com um carro conservador, uma evolução do ano passado (o que não quer dizer muita coisa). John Booth ainda não conseguiu provar que dá pra construir um F1 sem túnel de vento. Deve amargar a última posição das corridas. Digo das corridas, porque a Hispania consegue estar ainda pior que a Virgin. Mais uma vez vai começar o ano sem testar um metro sequer, com um carro também parecido com o do ano passado (o que quer dizer, muito ruim!) e sem dinheiro nenhum. Com a volta da regra dos 107% nos treinos, a equipe corre o risco de ficar fora das corridas e nem terminar o ano. Aliás, como sugeriu meu amigo Fernando, podíamos fazer um bolão apostando qual vai ser a primeira corrida que eles vão conseguir correr, e até que corrida eles vão existir antes de falir.

Hoje, eu vou ficando por aqui. Com a proximidade da temporada, devo escrever mais esses dias. Boa noite para todos…

Sobre Pedro Horta

Engenheiro Mecânico que dá pitacos sobre F1, mas tb apaixonado por esportes, principalmente futebol, e uma boa cerveja!
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a Impressões parte 2

  1. Eu aposto que a Hispania alinha em Mônaco e fale imediatamente depois da Índia perante o fracasso de Kartykeian (como é que escreve esta bosta?)

    A Lotus verde vai pontuar pra caramba e o Rubinho vai ganhar uma corrida maluca com chuva e um monte de batidas. Minhas previsões embasadas na flutuação espaço temporal do universo complexamente unida a teoria das cordas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s