Senna ficou de fora!

Salve salve amigos do blog, estou devendo posts sobre as apresentações de carros de ontem e hoje, e vou continuar devendo um pouco. Devo tentar colocar alguma coisa durante a semana. Mas hoje serão dois posts sobre assuntos mais importantes, e o primeiro deles é sobre o futuro de Bruno Senna. O sobrinho do Ayrton jogou o boné e desistiu da F1. Falou que gostaria de voltar a ganhar corridas e as oportunidades que ele tinha na F1 no momento não lhe permitiam isso. Assinou com a Aston Martin pra disputar o mundial de endurance (WEC).

Bruno Senna com o seu Aston Martin de 2013

Bruno Senna com o seu Aston Martin de 2013

Como mundial, o campeonato é relativamente novo, mas conta com várias categorias, grandes carros como os Audi e Toyota e grandes pilotos. Quem também vai disputar o campeonato (ainda que parcialmente) esse ano é Lucas Di Grassi, pela Audi. Correndo pela Aston Martin, Bruno tem grandes chances de disputar vitorias e fazer uma boa carreira. Pra ele, correr por equipe pequena na rola nessa altura do campeonato, até porque, ele conhece bem como é, amargou um ano na Hispania, em seu primeiro ano de F1. Já não tá mais lá só pra aparecer, ele quer disputar alguma coisa, então tava na hora de sair. Fico triste pelo fato do Bruno não ter dado “tão certo” na F1 quanto todos gostariam, mas é inegável que ele vai se divertir mais agora.

Acompanho a carreira do Bruno desde a F3 Inglesa, e ele sempre conviveu com o estigma do nome. Ao mesmo tempo em que lhe abria portas, lhe gerava mais cobrança. Não esqueço de uma manchete do Globo de 2006, se não me engano, quando Bruno foi disputar uma etapa quádrupla da F3 australiana, e ganhou 3 corridas e fez um terceiro lugar, na chuva, e a manchete dizia: ”Senna faz milagre na chuva”. Pouca pressão em cima do cara é bobagem. Fez dois anos de F3 Inglesa, depois 2 anos de GP2, onde vice-campeão, com uma brilhante vitória em Mônaco ( e mais uma vez, a mídia vibra com uma vitória de um Senna em Mônaco) e ai, teve o maior azar da sua vida!

Bruno Senna testando a Honda, no fim de 2008

Bruno Senna testando a Honda, no fim de 2008

Todo mundo fala do azar do Rubinho, mas pra mim, o piloto que teve o maior azar na F1 foi o Bruno. No fim de 2008, a Honda fez testes para saber quem seria o companheiro de Jenson Button no ano seguinte e Bruno foi o melhor, superando justamente o Rubinho e o Di Grassi. Estava tudo certo que ele seria o piloto quando a montadora japonesa decidiu sair da F1! Com isso, Ross Brawn ficou na dúvida e achou melhor chamar de volta seu antigo conhecido Rubinho para ficar na equipe e ajudar a desenvolver o carro do ano seguinte, na equipe que virou a Brawn GP e foi campeã de construtores. Não é certeza de que, se a Honda tivesse continuado, ela seria campeã, e o Bruno teria vencido corridas, como fez Barrichello, mas é fato que ele teria estreado numa condição muito melhor e certamente teria feito muitos pontos e pódios e, consequentemente, sua imagem ia mudar no mundo da F1.

Enfim, mas tudo isso são suposições, ninguém pode dar certeza de que seria exatamente assim. Bruno entrou pela porta dos fundos na F1, em 2010, correu meio ano pela Renault Lotus e mais um pela Williams, onde foi muito consistente, mas tinha um companheiro muito, muito rápido e com muito dinheiro. Acabou rodando mesmo. Desejo boa sorte ao Bruno no WEC, que vença corridas e títulos, e continuarei  acompanhando a carreira dele!

Sobre Pedro Horta

Engenheiro Mecânico que dá pitacos sobre F1, mas tb apaixonado por esportes, principalmente futebol, e uma boa cerveja!
Esta entrada foi publicada em Dança das Cadeiras com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

2 respostas a Senna ficou de fora!

  1. Rafael diz:

    Pepe, qual foi a diferença de pontos entre o Bruno e o Maldonado?
    Salvo engano, não houve grande diferença. O que eu via acontecendo era o Pastor bem melhor nos treinos, mas menos consistente nas corridas.
    Você acha que o Senna volta em 2014?

  2. Nunca vi muito futuro para o Bruno Senna na F1. Ele se manteve esse tempo todo por causa da grana que leva. Seu sobrenome é bem útil pra descolar patrocínio. Basta comparar com outro piloto brasileiro bem melhor que ele, o Di Grassi. Enquanto um sobreviveu na F1, o outro virou piloto de testes da Pirelli pra faturar uns trocados e não enferrujar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s